Congregação das Irmãs Franciscanas

de Nossa Senhora das Vitórias

NOTÍCIAS

PARTILHA

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Bodas de Prata de Vida Religiosa Consagrada

“Tua palavra abre novos horizontes, é convite de serviço aos irmãos.
Me consagra, me envia a assumir/ Teu projeto nesta vida, neste chão.
Meu sim é resposta, é meu jeito de amar, estar com teu povo, contigo morar”.

Louvado sejas, Senhor, pois desde cedo me olhaste e me cativaste com Teu imenso amor, prendeste-me com laços de ternura e misericórdia e não fui capaz de outra coisa a não ser correr atrás de Ti!

Durante todo este ano jubilar a minha alma canta a sua gratidão ao Senhor. Preciso agradecer, pois tudo é graça, tudo é dom. Louvado sejas Senhor pelos meus pais: Maria das Graças Barbosa e Joaquim Moreira Gomes por cada um dos meus irmãos e irmãs, nesta minha família de sangue aprendi a Te amar com todo o meu coração, com toda a minha alma e com todas as minhas forças. Obrigada pela Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora das Vitórias que foi porta aberta para eu entrar em 1994, como um lugar abençoado para eu ser toda tua. Obrigada Senhor pela minha querida Irmã de caminhada Dionízia Martins Teixeira, que celebra junto comigo este jubileu.

Obrigada Senhor, pelas Irmãs formadoras que me ensinaram com paciência e amor os valores da vida religiosa consagrada, pelos irmãos do sacerdócio ministerial e por tantas pessoas amigas que são para mim testemunho de vida e de comunhão, como discípulos missionários. Gratidão pela nossa querida Irmã Cacilda Rosa Joaquim Torcida Gamboa, superiora geral, e por todas as Irmãs, pelos Amigos da Irmã Wilson, e por todos os queridos irmãos e irmãs que caminham comigo e me ajudam a crescer na fé, como Igreja servidora.

Estes 25 anos de Vida Religiosa Consagrada foram um longo processo de aprendizagem da gratuidade, tempo de crescimento na fé, na esperança e na caridade, tempo de entrega e de despojamento. Tempo de aprender com Jesus a ser pobre para abraçar o Bem maior, tempo de aprender com Maria a partir apressadamente, tempo de aprender com Francisco de Assis a beijar meu irmão leproso, tempo de aprender com Jesus Cristo e com a Boa Mãe Fundadora a ser pão partido e doado, semelhante ao Pão eucarístico que comungamos. Durante estes 25 anos caí e levantei muitas vezes. Mas, como canta o padre Zezinho: “as quedas que eu tive, não foram derrotas, eu caí quando estive a subir”! Obrigada, Senhor, pelo teu perdão que me cria e recria, ajuda-me a perdoar também. Senhor, aceita o resto da minha vida, seja longa ou breve e dá-me um coração manso, bondoso e dócil inteiramente Teu, no tempo e na eternidade, como nos ensinou a Venerável Irmã Wilson.

Louvado sejas Senhor, pois “este poder vem de Ti e não de nós” 2 Cor 4,7. Hoje tenho mais clareza de que vocação é chamado, e vocação é resposta, mas tudo isso é o Senhor que opera em nós. Só com a força do Espírito Santo que chama e sustenta, que opera tudo em todos, cheguei até aqui.

Numa noite silenciosa durante a vigília de oração, contemplando a Cruz da JMJ, senti um grande apelo do Senhor a oferecer a minha vida pela juventude e pelas vocações, pois sei que contas connosco para continuar a chamar mais jovens para Te seguir na vida religiosa e sacerdotal e na vida missionária. Abençoa, Senhor, os jovens e as famílias do mundo inteiro para que sejam berços de novas vocações para a Tua Igreja. Pois como nos disse o papa Francisco na JMJ Lisboa 2023: “Foste chamado pelo teu nome. Nenhum de nós é cristão por acaso, todos fomos chamados pelo nosso nome. Ao princípio da teia da vida, ainda antes dos talentos que possuímos, antes das sombras, das feridas que trazemos dentro de nós, recebemos um chamamento. Fomos chamados, porquê? Porque amados. Fomos chamados, porque somos amados. É belo! Aos olhos de Deus somos filhos preciosos, que Ele cada dia chama para abraçar, para encorajar; para fazer de cada um de nós uma obra-prima única, original. Cada um de nós é único e original, e não chegamos sequer a vislumbrar a beleza de tudo isto.

E dá-me Senhor, a graça de viver a espiritualidade do recomeço que o Papa Francisco nos pediu na JMJ Lisboa 2023. Sim recomeçar sempre para fazer a Tua vontade todos os dias da minha vida.

Como a Boa Mãe Fundadora, Mary Jane Wilson, a quem celebramos também neste ano jubilar dos 150 anos da sua conversão ao Catolicismo queremos caminhar sempre de olhos fixos em Jesus Eucaristia e cantar:

Mary Wilson procurou no seu longo caminhar,
a fé que tanto desejou, na Eucaristia a veio encontrar!

Bodas de Prata da Ir. Irene Barbosa Moreira, celebrada a dia 17 de setembro de 2023 as 10 horas na Paróquia Nossa Senhora da Encarnação, na Celebração Eucarística presidida por Dom António Montes, Bispo emérito de Bragança Miranda, com a presença do vigário paroquial Padre José Manoel, de muitas Irmãs e do povo de Deus.